20 dezembro, 2019

Batalha de meios: placas de rua ou relógios de rua?

Não faltam opções de locais para aplicar sua estratégia OOH. Duas das mais frequentes estão nos relógios de rua e nas placas de rua. A grande dúvida que fica é: qual desses meios é o melhor?

Em uma digna “batalha de meios”, é normal se sentir perdido e acabar demorando a decidir. Ou, pior ainda, tomar qualquer decisão sem ter critérios definidos e perder dinheiro no final da campanha.

Não queremos isso, certo? Para que você decida de maneira rápida e acertada, iremos mostrar um pouco sobre os relógios e placas de rua: características, vantagens e desvantagens serão abordados ao longo deste artigo.

Ao final do conteúdo, você terá um entendimento maior de quando e onde utilizar cada um desses meios para divulgar sua marca. Por isso, lhe convidamos a ficar conosco por mais alguns minutos para que entenda tudo sobre esses dois meios tão utilizados em estratégias de marketing OOH.

Boa leitura!

Relógios de rua: como funcionam para estratégias OOH?

Começando nossa batalha de meios, temos os famosos relógios de rua. Um mobiliário urbano bastante comum nas zonas centrais de capitais como Rio de Janeiro e São Paulo, os relógios ajudam pedestres e motoristas a não perderem a hora, além de mostrarem a temperatura da rua.

Porém, essas duas informações podem ser transmitidas por visores que ocupam menos da metade do relógio de rua. Nada impede que marcas divulguem seus produtos, onde há espaço, geralmente, na parte superior. 

O uso desse espaço para divulgação tem dois benefícios diretos: permite que empresas se promovam e ao mesmo tempo ajudam a custear a manutenção desse mobiliário urbano.

Outra vantagem de inserir anúncios em relógios de rua é o fato de ficarem visíveis 24 horas por dia, principalmente por serem iluminados. Assim, todos que frequentarem o local em que o relógio esteja instalado, em qualquer horário do dia, serão impactados pelo anúncio.

Vale mencionar, também, que o tráfego de veículos e transportes urbanos é mais intenso nas regiões onde os relógios de rua são mais frequentes, o que representa um aumento na exposição do anúncio OOH.

Agora que já entendeu um pouco mais sobre como os relógios de rua podem funcionar, veja como as placas de rua também podem ser importantes em uma campanha out of home.

Placas de rua: como funcionam para estratégias OOH?

Podemos dizer que as placas de rua são o berço das estratégias OOH, visto que foram os primeiros mobiliários urbanos a receberem anúncios.

É importante mencionar que placas de rua englobam cartazes em prédios, placas de sinalização de endereços e até os famigerados outdoors. Lembre-se, também, que as placas digitais são igualmente consideradas como placas de rua.

Diferentemente dos relógios de rua, as placas possuem uma variedade maior de formatos e,com isso, de possibilidades. Por outro lado, isso também significa que nem toda placa de rua conta com um serviço útil que encoraje pedestres e motoristas a olharem para ela, como acontece com os relógios de rua.

Um anúncio inserido em placas que indicam em qual rua você está, por exemplo, dificilmente será percebido por alguém que está acostumado com o local e já sabe o caminho. Por outro lado, o uso de placas digitais com vídeos impactantes, por exemplo, representa uma experiência que o relógio não garante.

Ou seja, ambas contam com pontos positivos e negativos, assim como vantagens e desvantagens na hora de anunciar sua marca. Quem será que vence essa batalha de meios?

Abaixo, vamos mostrar três exemplos de anúncios de relógios de rua, contrapondo-os com outros três exemplos de inserções nas placas de rua. Confira!

3 exemplos de anúncios em relógios de rua

1. Olimpíadas Rio 2016

Fonte Blue Bus

Um dos maiores eventos esportivos do mundo costuma sediar não apenas os esportes, mas ousadas campanhas de marketing OOH. O Google Tradutor foi um exemplo: aproveitou o influxo de estrangeiros no país para anunciar sua plataforma.

Já na praia de Ipanema, um dos relógios de rua mostrava, em diversos idiomas, que o futevôlei havia nascido nas areias daquela praia. O mesmo foi feito em frente ao icônico hotel Copacabana Palace, que usou um relógio de rua como guia turístico, informando que os astros de rock que visitam o país se hospedavam no hotel.

2. Burger King e McDonald’s

Fonte: Veja São Paulo Online

Não é novidade que as duas principais redes de fast food do mundo vivem “se bicando” em suas campanhas de marketing. Um dos cases mais icônicos envolveu o famoso meme “raiz”, representando o que é bom e eficiente, e “nutella”, para o que é ruim e fraco.

A rival do McDonald’s, Burger King, não perdeu tempo e instalou, em relógios de rua, anúncios informando que as lojas de sua franquia eram raiz, ou seja, que entregavam os melhores lanches.

O McDonald’s resolveu dar o troco, assumindo seu lado “nutella”, estabelecendo uma parceria com a própria Nutella e criando três novos produtos para o seu cardápio, todos recheados com o creme de chocolate e avelã.

3. Motorola

Consegue lembrar de como os celulares eram antes de se tornarem os smartphones que conhecemos? A Motorola, na época, era uma das principais fabricantes, e quem tivesse o clássico V3 – com mecanismo flip – era alvo de inveja.

Uma de suas ações de marketing OOH transformou um relógio de rua em um dos modelos de celular que a companhia estava divulgando na época, bem em meio ao centro de São Paulo.

Fonte: PAXMídia

Agora veja três exemplos de anúncios em placas de rua para entender a diferença entre esses dois meios de mídia OOH.

3 exemplos de anúncios em placas de rua

1. Telecine

A rede de canais que recentemente anunciou seu serviço de streaming divulgou seus canais especializados em filmes em meio à orla do Rio de Janeiro. 

Nas placas de endereço que englobam o circuito Orla Rio, o Telecine inseriu uma placa, com seu anúncio, mostrando os melhores filmes que estavam sendo exibidos nos canais.

Criando uma terceira placa, o Telecine não prejudicou o caráter informativo das placas originais, ao mesmo tempo que conquistou maior visibilidade ao se posicionar no topo.

2. McDonald’s

Fonte: Acontecendo Aqui

As redes de fast food são experts no desenvolvimento de campanhas de marketing OOH. No Reino Unido, o McDonald’s usou painéis digitais de maneira magistral. 

Em dias de trânsito comum, os motoristas viam uma propaganda padrão, sem grandes inovações. Quando o tráfego ficava engarrafado ou lento, a propaganda do painel mudava, com uma mensagem de encorajamento aos motoristas. 

E o que a mensagem dizia? Que, ao final do trecho, eles poderiam dar uma parada para fazer um lanche!

3. Kit Kat

Fonte: Blue Bus

Você provavelmente conhece o slogan da empresa de chocolates. Ele foi divulgado tão massivamente que é praticamente impossível não ouvir a frase “Have a break” sem completá-la com “Have a Kit Kat”.

Foi exatamente essa a intenção da marca ao tomar a decisão ousada de lançar um outdoor incompleto. De fundo vermelho, apenas parte do slogan ficava visível, obrigando o público, inconscientemente, a completar os dizeres.

Mas o caso não termina por aí. Além do outdoor incompleto, a escada usada pelo instalador continuava no local, dando a entender que ele tinha ido tirar uma pausa. E, provavelmente, comer um Kit Kat.

Agora que já conheceu alguns exemplos de como usar os relógios de rua e placas de rua em sua estratégia OOH, confira, nos trechos a seguir, as diferenças entre cada uma e quando é mais indicado optar por uma em relação à outra.

Quais as diferenças dos relógios de rua e as placas?

Como pôde perceber ao longo do artigo, ambos os espaços possibilitam incríveis ações OOH. Por outro lado, as duas opções também possuem limitações e situações nas quais usar um será mais vantajoso que apostar no outro.

Saiba quais são essas situações nas duas listadas abaixo!

Quando e onde é melhor criar campanhas OOH em relógios de rua?

Quando e onde é melhor criar campanhas OOH em placas de rua?

Qual é o melhor meio: relógios de rua ou placas de rua?

Ao longo do artigo, ilustramos exemplos de cases incríveis que usaram tanto os relógios de rua quanto as placas de rua. Ficou claro, também, que o uso de cada um depende do lugar e, até mesmo, da peça que pretende publicar em sua campanha de marketing OOH.

Por isso, se limitar apenas a um meio e deixar o outro de lado pode não ser uma estratégia inteligente, a não ser que a sua marca ou produto seja totalmente incompatível com um dos meios em questão. Nesse caso, saber sobre sua marca ou produto é importante, como uma forma de escolher o melhor meio de mídia OOH para ter o resultado esperado.

Mas, é bem difícil que o produto ou serviço oferecido não seja adequado a qualquer um dos meios que mostramos. Não é apenas o meio que importa ou define como sua estratégia de marketing deverá ser conduzida. Criatividade, impacto, ferramentas e formato também fazem parte dessa decisão.

Ambos os meios são ferramentas poderosas que, aliadas a uma boa estratégia e peças publicitárias impactantes, irão aumentar suas vendas e tornar sua marca reconhecida no mercado.
Quer saber como usar relógios de rua e placas de rua em suas campanhas out of home? Aqui na Três Meios temos um time preparado e especializado em desenvolver estratégias de marketing que causam impacto, não importa o meio que você escolha!

Deixe seu comentário:

Veja Também

Como fazer um briefing perfeito para sua campanha

O briefing é uma etapa fundamental na hora de planejar as campanhas publicitárias de uma marca, mas você sabe como fazer um briefing e por quê ele é tão importante?  […]

2021 e o OOH: tendências de marketing para sua campanha

O mundo da comunicação é um dos que mais muda com o tempo. A cada alguns meses é possível identificar novas referências e tendências de marketing que vão surgindo e […]

Tipos de segmentação: seja assertivo em suas campanhas

Os tipos de segmentação são cada vez mais utilizados na publicidade para criar campanhas assertivas. Com o uso de dados geográficos, demográficos, comportamentais e até mesmo psicológicos, é possível entender […]